Os caminhos para envelhecer bem

Atividade física ajuda a evitar problemas no sistema musculoesquelético. O ideal é que ela comece na infância.

O estereótipo do idoso cheio de dores no corpo, com limitações de movimentos e vitimado por quedas, remete claramente aos problemas causados pela falta de cuidados com o sistema musculoesquelético durante as fases anteriores da vida. Ossos, músculos, articulações, cartilagens, tendões e ligamentos começam a se desgastar a partir dos 30 anos de idade. Uma alimentação balanceada é essencial para a boa saúde dessas estruturas. Mas mantê-las em movimento por meio de atividade física é fundamental para retardar a degeneração e reduzir os riscos de osteoartrose e osteoporose, doenças cuja incidência se eleva consideravelmente com o envelhecimento.

A osteoartrose é provocada pelo desgaste das cartilagens, que funcionam como um colchão que impede o atrito entre as extremidades ósseas. Com a degeneração natural do envelhecimento, elas ficam mais finas e enrijecidas, perdendo a função amortecedora. O contato de osso com osso pode provocar dores e, em alguns casos, deformidades.

Quadris, joelhos e a coluna vertebral são as articulações mais afetadas pela osteoartrose, que tem causa genética, é degenerativa e está presente em 50% da população com mais de 60 anos. Não é possível preveni-la, mas movimentar as articulações estimula a circulação do líquido sinovial que lubrifica as cartilagens, contribuindo para retardar a instalação da doença.

[quote align=”center” color=”#999999″]Atividade física é fundamental para retardar a degeneração óssea e reduzir os riscos de osteoartrose e osteoporose.[/quote]

O avanço da idade também diminui a produção de massa óssea. Os ossos tornam-se mais frágeis e porosos, levando à osteoporose, doença que atinge principalmente mulheres após a menopausa. Esse problema afeta cerca de um terço das mulheres na faixa entre 60 e 70 anos e dois terços daquelas acima dos 80 anos.

A osteoporose pode levar a fraturas espontâneas e, consequentemente, a quedas, que hoje respondem por 70% das mortes acidentais de idosos. Atividades físicas que promovam ganho de massa óssea ajudam a prevenir a doença e até a promover a reversão parcial em quadros já instalados.

Para chegar aos 60 anos sem as consequências de um sistema musculoesquelético negligenciado, a atividade física deve ser incorporada à rotina ainda na infância e mantida ao longo da vida. Caminhadas diárias durante o dia, alongamento e trabalho assistido de fortalecimento muscular são suficientes para garantir bem-estar e disposição. Contudo, até uma simples caminhada requer cuidados. Buscar orientação é recomendável, seja para determinar o melhor tipo de trajeto, a postura correta ou movimento mais adequado e com maior potencial de eficácia para cada pessoa.

Fonte: Revista Veja / Albert Einstein


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *